Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


PROGRAMA EM DESTAQUE

por SIC - Blog, em 30.12.07

 

[do+best.jpg]

 

"Quando o Telefone Toca" é o concurso das madrugadas da SIC em que o objectivo do programa é dar dinheiro aos espectadores que acertarem nas palavras em jogo. Em todos os jogos á um tema e os participantes seleccionados tem que acertar em palavras sobre o tema.

 

APRESENTADORES:

Quimbé

Vanessa Palma

Patricia Henrique

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:51

TUDO SOBRE "DESEJO PROIBIDO

por SIC - Blog, em 30.12.07

Personagens

Personagens

Titulo

 
Protagonista de divertidas cenas ao lado de Lima Duarte e dona de vasta lista de novelas e minisséries no currículo, a paulista Nívea Maria vem conquistando o público com o seu bom humor, extravagância e o jeitinho mineiro de falar da primeira-dama de Passaperto em Desejo Proibido. Em entrevista, a atriz fala sobre como é trabalhar ao lado de outros grandes nomes da televisão brasileira e avalia o trabalho de novatas como Grazi Massafera e Aninha Lima. Para completar, ela afirma com a sabedoria de uma veterana que para fazer o trabalho dar certo só é preciso o bom humor!

O que mais se ouve de todos que trabalham na equipe de Desejo Proibido é o prazer de estar fazendo a novela. O que mais lhe dá prazer em fazer a Magnólia?
É estar interagindo e contracenando com atores veteranos, donos de grandes talentos, como o Lima Duarte e a Eva Wilma e com os atores jovens também, como a Grazi Massafera e a Aninha Lima. É sempre um incentivo e um exercício para a nossa profissão contracenar junto e poder confraternizar com eles fora das gravações. Isso tudo é muito gratificante e prazeroso.

O que você acha do trabalho das intérpretes de suas duas filhas, que começaram há pouco tempo na carreira: Grazi Massafera e Aninha Lima?
Normalmente as pessoas são muito críticas e reticentes a respeito das atrizes jovens que estão na televisão. Sempre sou muito condescendente porque me lembro de quando comecei, com toda a minha tensão e nervosismo. Mas acho que a coisa mais importante, e que elas têm, é disciplina. Elas prestam muita atenção a tudo o que acontece em volta, porque televisão é um trabalho de equipe. Então, quando você trabalha com atenção, trabalha melhor. O resultado está aí no vídeo para se ver, elas dão vida a cada personagem como se pede.

De que forma a experiência de uma atriz como você, que já tem dezenas de novelas no currículo, ajuda no dia-a-dia das gravações e na maneira de lidar com o público e com a imprensa?
O mais importante é gostar do que se faz e ter sempre muito bom humor. Eu tenho bom humor, porque as coisas não são fáceis, não são simples de se fazer. A televisão hoje exige uma outra postura do profissional, uma dedicação quase que completa. Você fica praticamente vivendo em função do seu trabalho. Então tem que ter muito bom humor, porque são muitas horas de trabalho lidando com pessoas de diversos temperamentos, idades e de diversas atividades como a imprensa, a técnica, o figurino, a caracterização... Tendo bom humor, abrindo o coração e sempre com um sorriso no rosto tudo fica mais simples e dá mais certo.

Tem ouvido muito “Atáia!” por aí?
Ainda não, mas como ele é uma forma carinhosa para aquele tempo de dizer: “Chega!”, “Cala a boca!”, tem tudo para cair na boca do povo. É ótimo, porque qualquer pessoa que passa dos limites e fala demais merece um: “Atáia!”.

Você se inspirou em alguma personalidade em especial pra compor essa personagem?
Tenho várias amigas mineiras. Acho que peguei delas esse jeitinho mineiro de falar. É claro que há um exagero na Magnólia, mas esse jeito apertadinho de falar é de amigas minhas de Minas (Gerais).

A Magnólia tem algumas características marcantes: tem mania de grandeza, dá valor às aparências, gosta de ostentar o título de primeira-dama, traz o marido na rédea curta... Você acha que se encaixa em alguma delas?
Eu acho que não, porque todas essas mulheres que a Magnólia representa são mulheres que estão ao lado do poder, de políticos com personalidades muito forte. Eu não tenho nada dela e detestaria ter que conviver ao lado de pessoas que trabalham muito mais com a razão do que com o coração. Mas acho que estou representando com muito humor o que é a esposa de um homem que tem o poder nas mãos, no caso da Magnólia, um prefeito de uma cidade pequena.

Na vida real, qual você acha que deva ser o papel de uma primeira-dama?
Acho que acompanhar seu marido com a maior discrição possível, nada como a Magnólia, que tem uma vaidade exacerbada.

 

IMAGENS E TEXTOS RETIRADOS DO SITE DA REDE GLOBO

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:40

SIC tem receitas iguais ou melhores às que tinha quando era líder

por SIC - Blog, em 30.12.07
SICA SIC tem actualmente receitas semelhantes ou superiores às que tinha quando era líder de audiências.Quem o garantiu foi o director-geral, Bastos e Silva, adiantando prever que a estação bata um recorde de facturação este ano, avança a agência «Lusa».

 

A SIC «mantém índices de rentabilidade ao mesmo nível ou superiores aos que tinha quando era líder de audiências», afirmou o director-geral durante uma conferência realizada a propósito das comemorações dos 15 anos da estação.

«Este ano de 2007 será mesmo um ano recorde de facturação», acrescentou.

Considerando que a estação é líder se se somarem as médias dos vários canais SIC, Baptista da Silva admitiu que gostaria de «ter mais audiências no canal generalista».

Mas, ressalvou, «no dia em que estivermos mais acima, as receitas explodem».

Esta capacidade de bater recordes de facturação é, para o director de Informação da SIC, Alcides VieirA SIC tem actualmente receitas semelhantes ou superiores às que tinha quando era líder de audiências.Quem o garantiu foi o director-geral, Bastos e Silva, adiantando prever que a estação bata um recorde de facturação este ano, avança a agência «Lusa». a, «o que é vital».

 

A SIC «mantém índices de rentabilidade ao mesmo nível ou superiores aos que tinha quando era líder de audiências», afirmou o director-geral durante uma conferência realizada a propósito das comemorações dos 15 anos da estação.

«Este ano de 2007 será mesmo um ano recorde de facturação», acrescentou.

Considerando que a estação é líder se se somarem as médias dos vários canais SIC, Baptista da Silva admitiu que gostaria de «ter mais audiências no canal generalista».

Mas, ressalvou, «no dia em que estivermos mais acima, as receitas explodem».

Esta capacidade de bater recordes de facturação é, para o director de Informação da SIC, Alcides Vieira, «o que é vital».

Segundo o responsável, as audiências da informação emitida pelos canais da SIC «estão ao nível das da TVI, até em termos de share comercial».

A SIC registou em Agosto (últimos dados disponibilizados) a pior quota de audiências desde Fevereiro de 1994, apresentando um share de 23,3%, menos quase sete pontos que a líder TVI.

A estação obteve o pior resultado desde o período em que, com cerca de um ano e meio de existência, ainda estava a conquistar audiências.

Apesar de ter sido em Agosto o canal que mais jogos de futebol-género de programa televisivo que alcança habitualmente melhores audiências-transmitiu em horário nobre, a SIC também registou o pior share do ano no «prime time» (entre as 20 e as 24 horas), com 22,3%, segundo dados da Marktest.

Questionado sobre a existência de uma estratégia para fazer a SIC regressar à preferência dos telespectadores, o director de Programas, Francisco Penim, admitiu que essa estratégia existe, mas considerou não ser o dia certo para falar nela, escusando-se a adiantar mais.

Segundo o responsável, as audiências da informação emitida pelos canais da SIC «estão ao nível das da TVI, até em termos de share comercial».

A SIC registou em Agosto (últimos dados disponibilizados) a pior quota de audiências desde Fevereiro de 1994, apresentando um share de 23,3%, menos quase sete pontos que a líder TVI.

A estação obteve o pior resultado desde o período em que, com cerca de um ano e meio de existência, ainda estava a conquistar audiências.

Apesar de ter sido em Agosto o canal que mais jogos de futebol-género de programa televisivo que alcança habitualmente melhores audiências-transmitiu em horário nobre, a SIC também registou o pior share do ano no «prime time» (entre as 20 e as 24 horas), com 22,3%, segundo dados da Marktest.

Questionado sobre a existência de uma estratégia para fazer a SIC regressar à preferência dos telespectadores, o director de Programas, Francisco Penim, admitiu que essa estratégia existe, mas considerou não ser o dia certo para falar nela, escusando-se a adiantar mais.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:18



Mais sobre mim

foto do autor



Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Dezembro 2007

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031




Arquivo

  1. 2011
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2010
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2009
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2008
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2007
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D