Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Laços de Sangue - Henrique reconhece Diana

por SIC - Blog, em 31.10.10

Enquanto tenta seduzir a mulher e reconquistar a vida que tinha o médico cruza-se com a vilã e percebe que pode ter ali uma aliada

Joao continua a achar que a mãe não devia perdoar o pai, enquanto Henrique vai conquistando a confiança da mulher e ganhando terreno.

O músico melhora a olhos vistos e convida Francisca para jantar no M. Assim que chegam ao restaurante, Henrique fica com a sensação de que conhece Diana e, como tal, resolve ficar atento a tudo o que se passa à volta da rapariga.

O pai de João manifesta bastante agrado pelo facto de ter voltado a uma vida de luxo e mente à mulher, dizendo que quer reconstruir a relação. Em casa, os dois tocam piano e recordam episódios antigos. O ambiente é de ternura e o músico beija a mulher. Francisca deixa o marido atordoado ao revelar que oficializou o divórcio dos dois, depois de ter sido roubada e abandonada por ele. Henrique tenta seduzir a mulher com insistentes pedidos de perdão e juras de que agora se tornou num homem decente. Contudo, para seu desagrado, ela não cede. Entretanto, João chega e o pai pede-lhe uma oportuni dade. Para amolecer o coração do filho, diz que tem muito nele, deixando assim as portas abertas para a reconciliação.

Mais tarde, Henrique vai ter com o filho ao consultório e vê Diana a beijá-lo. Segue a vilã e vê-a chegar junto de Ricardo, que a recebe também com um beijo apaixonado. Henrique percebe que existe um esquema
que pode ter ali uma aliada.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:55

Ídolos - Competição entra em contagem decrescente

por SIC - Blog, em 30.10.10

Primeira gala arranca este domingo, na SIC, com João Manzarra e Cláudia Vieira.

É já depois de amanhã que arrancam, na SIC, as galas do ‘Ídolos'. Cláudia Vieira e João Manzarra serão os anfitriões dos 14 jovens cantores ainda em concurso. Doze foram escolhidos pelo júri constituído por Moura dos Santos, Roberta Medina, Laurent Filipe e Pedro Boucherie Mendes. O décimo terceiro será eleito pelo público, que terá que escolher entre Maria Stürken e Neemias Silva. Domingo, dia 31, o eleito vai actuar ao lado dos finalistas já apurados.

Adriano Correia, Carolina Deslandes, Gerson Santos, Gonçalo Dias, Joceline Medina, Maria Bradshaw, Maria Manuel, Martim Vicente, Mónica Ribeiro, Raquel Pinho, Ricardo Costa e Sandra Pereira são os 12 eleitos pelos quatro membros do júri. Através de voto telefónico, numa eleição que decorre até à gala de domingo, o público vai decidir se será Maria Stürken ou Neemias Silva a ter acesso à primeira actuação em directo de ‘Ídolos'. Dia 1 de Novembro, feriado, numa emissão especial, três concorrentes serão expulsos, ficando um grupo de dez para disputar o título de ídolo de Portugal. Segundo a dinâmica do formato, em cada domingo será expulso um concorrente.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:23

Entrevista de Clara de Sousa ao CM

por SIC - Blog, em 30.10.10

Jornalista garante que desde que está na SIC nunca sentiu pressões. Sobre o País, diz que falta uma liderança política forte.

Clara de Sousa é uma das figuras mais emblemáticas da informação da SIC, canal a que chegou após passagens pela RTP e pela TVI. Sem querer falar do passado, a jornalista adianta que é em Carnaxide que se faz a melhor informação televisiva de Portugal. Para tal, salienta o papel de Francisco Pinto Balsemão.

A Clara de Sousa teve oportunidade de entrevistar todos os principais líderes políticos portugueses. Que leitura faz do actual panorama político nacional?

O País atravessa um dos momentos mais difíceis dos seus quase 37 anos de democracia, só comparável à crise dos anos 80, quando tivemos a intervenção do FMI. São tempos de que me lembro muito bem. Lembro-me da escassez de alguns produtos, do excesso de outros por falta de poder de compra. Lembro-me, no entanto, que as famílias, apesar de terem pouco, ainda conseguiam fazer alguma poupança.

E actualmente?

Hoje dificilmente o conseguem, o que agrava ainda mais a situação. Os tempos exigem modelos económicos claros e lideranças políticas fortes e que inspirem confiança. É isso que falta um pouco por toda a Europa. O défice é também de confiança. As pessoas até aceitam fazer sacrifícios mas precisam de ter a convicção de que vale a pena, de que o caminho que estamos a trilhar é o mais correcto.

E, na sua opinião, estamos no caminho correcto?

Neste momento, sinto que as expectativas não são nada animadoras para a maioria dos portugueses.

Como viu a saída de Manuela Moura Guedes da TVI?

Assisti a todo o processo de fora. Não tenho os elementos que me permitam ter uma opinião fundamentada. Mas, mesmo que os tivesse, também não acharia correcto fazê-lo. É uma matéria que não me diz respeito.

Seria um reforço interessante para a informação da SIC?

Essa é uma pergunta que terá de fazer aos responsáveis da estação.

Mas gosta do estilo de jornalismo que Moura Guedes pratica?

Sobre a Manuela Moura Guedes não me pronuncio mais. Não acho correcto fazê-lo. Nunca o fiz e não é agora que o vou fazer.

Teve oportunidade de trabalhar nos três canais generalistas. Que leitura faz da informação de cada um?

É verdade que trabalhei nas redacções dos três canais, mas em relação à RTP e, sobretudo, à TVI, são hoje muito diferentes dos tempos em que lá estive.

Como telespectadora, qual é a sua opinião?

Como telespectadora acho que cada um cumpre o seu papel, sendo que a SIC é a que tem o maior desafio: manter a credibilidade sem ser institucional e ser suficientemente inovadora, criativa e apelativa, sem ser sensacionalista. Temos uma informação independente, plural e adulta, que é uma das principais marcas da estação.

Onde encontra a informação mais independente?

SIC significa Sociedade Independente de Comunicação. Ou seja, desde o primeiro momento, desde que foi criada, que a independência está na matriz da estação. Temos o privilégio de ter um patrão que é jornalista e que sempre foi um grande defensor da liberdade de imprensa, ainda antes do 25 de Abril de 1974. Em todos estes anos sempre deu provas de que o principal património de uma redacção é a sua liberdade e a sua independência.

Francisco Pinto Balsemão é uma referência?

A este nível é uma figura inspiradora e de referência. Por isso, e respondendo à sua pergunta, a informação mais independente está na SIC.

Alguma vez foi pressionada enquanto jornalista?

Sim, já falei várias vezes sobre isso e não vale a pena estar a repisar sobre um acontecimento que aconteceu na RTP no final da década de 90.

Mas o que é que, exactamente, se passou na RTP?

Não vou repisar. Já não é importante.

E na SIC, alguma vez aconteceu?

Na SIC, onde estou há 10 anos, nunca sofri qualquer pressão ou tentativa de condicionamento do meu trabalho. Tenho total liberdade. Nunca deixei de fazer nenhuma pergunta que considerasse relevante a nenhum entrevistado. E também nunca ninguém me veio dizer que não devia ter feito determinada pergunta. Na SIC, o que recebi sempre foram desafios profissionais exigentes, autonomia e poder de decisão, além de um grande sentido de responsabilidade. Nunca, em nenhum momento, me faltou o incentivo e o apoio para dar o melhor de mim.

Como é a relação de trabalho com o Rodrigo Guedes de Carvalho?

É uma excelente relação entre duas pessoas que se respeitam pessoal e profissionalmente e que são amigas. Penso que isso era percebido por todos os que nos seguiam quando fazíamos dupla no ‘Jornal da Noite’.

Sendo jornalista, por que aceitou integrar um projecto de entretenimento como o ‘Família Superstar’?

Já na altura expliquei porque o fiz. Fazia sentido e nunca colidiu com o meu trabalho enquanto jornalista. Houve um maior grau de proximidade com o público, que sinto ter sido positivo. Estou convencida de que as pessoas não mudaram a sua opinião sobre o meu trabalho enquanto jornalista pelo facto de ter sido jurada do ‘Família Superstar’.

Analisando à distância, voltaria a fazê-lo?

Neste momento, não sei dizer-lhe se o faria mais uma vez. Dependeria do projecto. Mas, para ser muito franca, não é nada que procure ou que me preocupe.

Que programas gosta de ver na televisão?

Noticiários, programas de grande reportagem das cadeias britânicas e norte-americanas que passam regularmente na SIC Notícias, séries de vários géneros – da medicina a policiais – e talk shows, tanto portugueses como estrangeiros. Além disso, sou cinéfila e tenho uma longa lista de filmes para ver quando tiver tempo.

Que estilo de informação e de jornalismo é que aprecia mais?

Sabe... vou contar-lhe uma coisa que acontecia há muitos anos e que se perdeu um pouco...

Então?

Quando eu era miúda, fazia-se silêncio ao jantar para ver o noticiário, porque era importante sabermos o que estava a acontecer no País e no Mundo e de que forma isso nos afectava. Para mim, a hora das notícias sempre foi um momento solene. É assim que ainda hoje a encaro, enquanto jornalista/pivô e enquanto telespectadora. Há uma formalidade na comunicação que eu continuo a defender acerrimamente.

Existem outros projectos que gostaria de desenvolver em televisão ou noutras áreas para além da informação?

E tempo para isso? Há ainda muitas pessoas que pensam que o pivô de um noticiário chega uma hora antes para se maquilhar e pentear e ler depois as notícias. Pois vou dar-vos outra novidade: é uma ideia totalmente irreal. A preparação que exige um noticiário deixa pouco tempo para outros desafios. O próprio noticiário já é um grande desafio, todos os dias. Nós sabemos como começa e tudo pode acontecer de permeio. Temos de estar sempre preparados para qualquer eventualidade e dominar o stress que isso inevitavelmente também nos causa.

Mas, mesmo assim, tem conseguido fazer outro tipo de trabalhos...

Uma vez que divido a apresentação com o Rodrigo, tenho tido oportunidade de sair mais vezes do estúdio para fazer especiais de informação, entrevistas e debates, como foram, por exemplo, os frente-a-frente para as Legislativas do ano passado.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:17

Audiências de ontem

por SIC - Blog, em 29.10.10
Top 5 de Programas para Quinta-feira, 28 de Outubro de 2010
# Canal Início Descrição Rat% Shr%
1 TVI 21:26:46 SECRET STORY: CASA DOS SEGREDOS - DIARIO 15.6 37.4
2 TVI 21:54:46 SEDUÇAO 13.4 34.0
3 TVI 22:59:43 ESPIRITO INDOMAVEL 12.6 41.4
4 TVI 19:59:56 JORNAL NACIONAL 11.1 29.0
5 SIC 19:59:59 JORNAL DA NOITE 11.0 28.0

 

A SIC ontem colocou o Jornal da Noite em quinto lugar com 28.0% de share. A Estação de Carnaxide fez 23.2 de share.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:55

Impresa aumenta lucros para 2,1 milhões

por SIC - Blog, em 29.10.10
Impresa aumenta lucros para 2,1 milhões
O grupo liderado por Francisco Pinto Balsemão registou lucros de 2,1 milhões de euros nos primeiros nove meses do ano, o que representa um crescimento de 728,5%, face ao período homólogo. Um valor digno de registo, uma vez que partiu de lucros muito baixos em 2009, cerca de 250 mil euros.

Segundo contas apresentadas ontem pelo grupo que detém a SIC e as publicações Expresso, Visão e Exame , entre outras, as receitas aumentaram 7,2%, para os 193,9 milhões de euros, com o EBITDA (cash flow operacional ou resul- tados antes de impostos, juros, depreciações e amortizações) a crescer para 17,9 milhões de euros.

Digno de registo é também o facto de a dívida líquida ter sido reduzida em 10,9%, para 229,2 milhões, menos 28,1 milhões face ao período homólogo.

"Apesar destes resultados glo-balmente positivos, a evolução da conjuntura económica a partir do início do segundo semestre não deixou de se reflectir nas contas trimestrais da Impresa", refere o grupo em comunicado, acrescentando que no "3.º trimestre do ano, o EBITDA registou uma quebra, para 3,3 milhões de euros, e um prejuízo de 1,25 milhões de euros".

No acumulado dos primeiros nove meses do ano, a Impresa atingiu uma facturação de 194 milhões de euros, mais 7,2% em relação ao mesmo período de 2009. Por áreas de negócio, a televisão totalizou 123 milhões de euros (+10,8%); as revistas, 67,6 milhões (+2,9%); e o Digital, 5,3 milhões (+13,9%).

Para estes resultados, na SIC, contou bastante o forte aumento das receitas publicitárias (14,3%), para 73,5 milhões de euros (só no terceiro trimestre facturou 21 mi-lhões de euros), e ainda da multimedia (39,6%), para 14 milhões.

Nas publicações, a Impresa to-talizou 31 milhões de euros, mais 2,9% que em 2009, com receitas publicitárias a cair 3,1%, para 31 milhões de euros, a circulação a subir 8,9%, para 28,3 milhões, produtos associados 98,8%, para 5,4 milhões, e outras receitas, pelo contrário, a cair 44,4%, para 2,7 milhões de euros. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:11

"Condenados" com mais de um milhão de espectadores

por SIC - Blog, em 28.10.10
Top 5 de Programas para Quarta-feira, 27 de Outubro de 2010
# Canal Início Descrição Rat% Shr%
1 TVI 21:50:54 SEDUÇAO 14.4 38.1
2 TVI 21:30:22 SECRET STORY: CASA DOS SEGREDOS - DIARIO 13.9 35.2
3 RTP1 20:00:00 TELEJORNAL 11.5 29.3
4 TVI 19:59:56 JORNAL NACIONAL 11.3 28.9
5 TVI 22:55:07 ESPIRITO INDOMAVEL 11.1 36.4
CONDENADOS
Posição :
6
Rat% :
11.0
Shr% :
28.4
Canal: SIC - Início: 21:29:52

 

O programa "Condenados" da SIC foi o programa mais visto da SIC e o sexto mais visto do dia de ontem com 11,0% de Rat e 28.4% de Share.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:27

Fãs de "Ídolos" com concerto cancelado

por SIC - Blog, em 28.10.10

idolomaniaOs seguidores da terceira temporada do talent-show da SIC viram cancelado o último concerto da Ídolomania, no Campo Pequeno. Segundo a TV Guia desta semana, apenas 59 bilhetes foram vendidos, o que levou Manuel Moura dos Santos a suspender o espectáculo. "A situação em relação ao Campo Pequeno está tão má, que tomei a decisão de cancelar o concerto se até domingo não tiver dois mil bilhetes vendidos. Lamento, mas, com a actual crise, não estou em condições de arcar com tal prejuízo", avançou o júri do Ídolos.
O profissional de Carnaxide acrescentou ainda o seguinte: "No contexto de crise que se vive, as câmaras sem meios, uma nova edição do Ídolos no ar, é normal que isto aconteça. Também me deixei levar pelo lado emocional, os fãs pediram mais um concerto e quis realizar essa vontade. Devia ter previsto essa situação".

Aliado a este facto, está a desistência de Diana Piedade de Ídolomania, no mês passado. Ao que parece, a cantora não esteve predisposta a continuar a actuar com os seus colegas no espectáculo resultante da terceira temporada do talent-show da SIC. "Não quis saber as razões, ela disse apenas que não estava interessada em participar mais. Podia ter sido forçada a continuar, por causa do contrato com a produtora, mas só faz falta quem está", finalizou Moura dos Santos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:07

Os 12 Finalistas de Idolos

por SIC - Blog, em 26.10.10

idolosrecordJá foram apurados os doze finalistas do Ídolos! Martim Vicente, Joceline, Gonçalo Dias, Maria Manuel, Ricardo Costa, Maria Bradshow, Sandra Pereira, Carolina Deslandes, Mónica Ribeiro, Adriano Correira, Gerson Santos e Raquel, são os doze magníficos da quarta temporada do talent-show da SIC.

No entanto, falta apurar o décimo terceiro finalista! Maria Sturken ou Neemias Silva?

Um deles vai ser escolhido pelos portugueses

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:48

Centro de Inovação de Matosinhos vai receber no próximo Verão 15 empresas, incluindo a SIC

por SIC - Blog, em 25.10.10

As obras que transformarão o matadouro de Matosinhos num Centro de Inovação, que acolherá o grupo Impresa e outras empresas, ficarão concluídas no Verão do próximo ano, garantiu o presidente da autarquia.

sic
O autarca de Matosinhos, Guilherme Pinto, considerou o novo Centro de Inovação de Matosinhos (CIM) uma "peça essencial" para aquela zona da cidade.
"Matosinhos/Sul é um caso de sucesso e, por ventura, o local mais apetecido na Área Metropolitana do Porto (AMP) para habitar. No entender da Câmara, faltava esta peça essencial para termos a certeza de que estamos a construir esta cidade inclusiva", disse.
A reconversão do antigo matadouro em CIM representa um investimento de cerca de cinco milhões de euros, sendo que o edifício acolherá 15 empresas, designadamente a SIC, o Expresso e a Visão, do grupo Impresa, bem como a Inovamais, a Filbox produções Audiovisuais, a No More/No Less, a HOT Consulting, a No Trouble, a SoJornal, a Mediapress, a 7Graus, a GMTS, a InfoPortugal e, entre outras, a AEIOU.
Este conjunto de empresas representa um volume de negócios anual de mais de 250 milhões de euros, dando emprego a 188 pessoas.
Guilherme Pinto salientou que as obras que transformarão "o espaço numa zona dinâmica" arrancam já no dia 3 de Novembro e têm um prazo de execução de seis meses.
O autarca referiu ainda que há já um conjunto de outras empresas que se encontram em lista de espera para aderirem ao CIM e, uma vez que as instalações estão já lotadas, a Câmara de Matosinhos está já a equacionar como poderá aproveitar melhor a zona sul da cidade para as acolher.
O outro CIM, garantiu, "ficará próximo".
Para Guilherme Pinto, não houve atrasos neste projecto, contudo, Luís Marques, director geral da SIC, afirmou que tinha "expectativas" de que a televisão estivesse já ali instalada.
"Não houve atraso, a fase difícil foi a do projecto, quando ficou tudo definido com o grupo Impresa não houve um minuto de atraso", disse Guilherme Pinto.
Já Luís Marques referiu que as obras estão com "algum atraso em relação às expectativas", precisando que a mudança estava inicialmente prevista para "antes deste Verão".
Luís Marques salientou a importância da transferência da SIC, Expresso e Visão para Matosinhos, considerando tratar-se de "uma mudança muito importante, porque permite juntar no mesmo espaço os serviços que o grupo tem no Porto".
O responsável afirmou que esta mudança de instalações vai permitir à SIC/Porto crescer, uma vez que será criada uma televisão de raiz.
"Uma das limitações que a SIC tinha é a de que o espaço que ocupa tem um conjunto de constrangimentos do ponto operacional", disse, acrescentando que "vai permitir que o Porto e o norte tenham condições de ajudar mais a SIC Lisboa na oferta de informação".
Admitiu ainda que, na sequência deste crescimento, estejam implícitas novas contratações.
Foi em Junho de 2009 que a autarquia anunciou que iria arrendar ao grupo Impresa as instalações do antigo matadouro, por um período de 15 anos renovável, pelo valor mensal de oito mil euros.

Lusa

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:30

Um "reality show" só para gordos

por SIC - Blog, em 25.10.10

SIC comprou os direitos de "The biggest loser" e vaiinvestir em versão portuguesa do formato já em 2011.

Reza o aforismo popular que "Não há fome que não dê em fartura" e os "reality shows" parece estarem a voltar em força. A TVI abriu o precedente e agora a SIC segue-lhe os passos, tendo na calha três formatos do género. Um deles é a adaptação de "The biggest loser".

Após a febre que contagiou o pequeno ecrã português os "reality" gozaram de um período de pausa. No entanto, esta "rentrée" televisiva assinalou o seu regresso através da antena de Queluz, com "Casa dos segredos". Ora, a SIC responde ao trunfo da concorrência com "The biggest loser": um conteúdo no qual só pessoas com flagrante excesso de peso estão aptas a participar e cujo propósito é, pois, que emagreçam a olhos vistos.

O formato não será totalmente desconhecido dos espectadores portugueses. A SIC Mulher tem em exibição a sua versão original da chancela da cadeia norte-americana NBC, tendo-a baptizado com o nome de "O peso certo". E sem dúvida que se tem verificado uma aposta ganha, não fosse o conteúdo mais visto da sua grelha. No passado mês de Setembro, "O peso certo" obteve uma média de 24,1% de "share" - quota de espectadores - liderando o "ranking" da tabela.

Além de ter ficado à frente de programas como os do dr. Oz, de Ellen DeGeneres, ou de Oprah Winfrey, todos eles com créditos firmados no que às audiências diz respeito, também no total do universo cabo, sobretudo atendendo ao leque de canais temáticos, o "reality " alcança bons resultados quanto à adesão do público.

Trata-se, então, de um conjunto de sinais que conferem alguma segurança face à performance da adaptação do programa ao contexto português. Por cá, o facto de a taxa de obesidade se observar cada vez mais galopante pode constituir outro indicador de um suscitar de interesse junto dos potenciais concorrentes. Este formato reveste-se de um ângulo de pressupostos pela positiva. Ou seja, para lá da componente de mero entretenimento, pretende prestar um serviço que se prende com fins de saúde.

Mas se haverá muitos aspirantes a perder quilos de gordura só se saberá nos princípios do ano que se avizinha, data prevista para a estreia do formato, segundo avançou fonte interna da SIC.

Outros projectos

Não só de conteúdos para gordinhos de se fará a grelha de Carnaxide em 2011 . O director de Programas da SIC, Nuno Santos, deverá investir ainda em "X factor", uma espécie de sucedâneo de "Ídolos", bem como no concurso de carácter mais "light", "Minute to win", projectos recentemente negociados no Mipcom, em Cannes.

Se o primeiro versa cantorias, o segundo lança desafios domésticos para cumprir em apenas 60 segundos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:13

Pág. 1/4




Mais sobre mim

foto do autor



Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Outubro 2010

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31




Arquivo

  1. 2011
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2010
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2009
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2008
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2007
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D